VOO SOLO: UMA EVOLUÇÃO PESSOAL – POR JANDIRA MACIEL

VOO SOLO: UMA EVOLUÇÃO PESSOAL – POR JANDIRA MACIEL

Quem já experimentou viajar com a sua própria companhia?Qual a importância de dedicar tempo a si mesmo? Você é dona do seu tempo?Bem, a ideia deste post é convidar vocês para uma reflexão. Então meninas!O que vocês estão esperando!Vamos seguir em voo solo e descobrir o prazer da sua própria companhia.

DESTINO – SUA PRÓPRIA COMPANHIA

Uma das melhores coisas sobre viajar sozinha é descobrir espaços em você que até então estavam adormecidos.Estar desgarrado e livre, deixar bagagens mentais se diluírem pelo caminho. Buscar experiências que pode proporcionar autoconhecimento, confiança e total independência. Voo solo guarda o lado mais bonito do encontro, ou do reencontro e isso nos faz muito bem.

Nos últimos anos, viajar sozinha se tornou popular. As mulheres viajantes solitárias são cada vez mais frequentes e saber aproveitar a própria companhia é maturidade, aprendizado e evolução pessoal. Acredite, é libertador e, quando estiver na companhia de alguém, conseguirá valorizá-la ainda mais.

Antes, as mulheres na sua infância, assim como na adolescência e na sua fase adulta viajavam com seus pais, amigos, namorado, marido e filhos. Dificilmente viajavam sozinhas. Pense um pouco!

  1. Quantas vezes você viajou com um grupo de amigos, família ou com namorado?
  2. Quantas vezes você queria ir algum lugar, mas a maioria das pessoas com que você estava queria ir a outro lugar e você acabou não indo?
  3. Quantas vezes você acordou com uma preguiça, com vontade de ficar na cama e no hotel. Tomar um café demorado e fazer alguma coisa sem planos, mas, não o fez porque estava com os amigos, namorado, marido, filhos e vocês junto já haviam planejado um roteiro?
  4. Quantas vezes você deixou de fazer alguma coisa que queria muito simplesmente porque estava sem companhia?

Comigo, aconteceu varias vezes.

Aí, invade de forma devastadora o sentimento de frustração, por não ter tido coragem de atirar-se, sem medo nessa experiência maravilhosa.

Não tem como negar que estar em um relacionamento saudável é delicioso. E como é bom poder compartilhar nossos momentos; jantar juntos, sair pra dançar ou fazer aquela viagem legal entre amigos, com o nosso namorado ou família, mas nem sempre estamos acompanhados, às vezes os amigos estão viajando, namorando, trabalhando ou o relacionamento não foi pra frente e nos vemos sozinhas.

O curioso é que a maioria das mulheres sequer se deu a oportunidade de experimentarem viajar sozinha, pois tem medo! Por outro lado, se perguntarem a alguém que viajou sozinha sobre  suas experiências, o mais provável é que digam que essa é a melhor forma de viajar; que não se imagina a fazê-lo de outra forma; e que, na verdade, durante a viagem sozinha, você só estará realmente sozinha se você quiser.

A princípio, não era um plano. Eu passei a viajar sozinha por necessidade, por perceber que nem sempre os outros teriam tempo, dinheiro ou interesse para se juntar a mim, e eu não queria deixar de viajar por falta de companhia.

Ao viajar sozinha pela primeira vez, o único perigo que você corre é o de se apaixonar por este estilo de viagem e não querer mais viajar acompanhada, como vem acontecendo comigo há vários anos. Apeguei-me tanto a este momento de liberdade total, que fica mais difícil dividir a estrada novamente.

As vantagens em viajar sozinha, envolvem o entendimento de novas amizades e, indiretamente, fornecem uma maior liberdade e autonomia, momentos de reflexão e autoconhecimento, incluindo crescimento pessoal. Os momentos de solidão proporcionam silêncio e tranquilidade, estimulando a ligação com nossa fonte de criatividade e diminuindo as inquietações que existem na nossa mente.

Não existe o melhor lugar ou destino para viajar sozinha: o que existe de importante é pensar na relação com você mesmo, é não sentir necessidade de estar incluso em um grupo. É desnudar-se de sua dependência e do seu perfil. É encontrar-se na sua essência, sendo a própria responsável de seus atos, sem preocupação em adaptarmo-nos às expectativas de outras pessoas que muitas vezes impedem certos aspectos de nossa personalidade.

Viajar sozinha permite que a relação vivida com você e o ambiente sejam mais vibrantes, uma vez que o seu foco é a viagem, sem riscos as desatenções e negociações. E nessa relação elevada, nessa absorção dos passeios, do local e das pessoas, misturada com suas reflexões, o sentimento de solidão não se faz presente nunca. Quando você arrisca viajar sozinha, sua percepção é profundamente completa pelo mundo projetado na sua direção.

Como tudo na vida, tem o lado bom e o ruim. Por mais que eu amo viajar sozinha, isso não significa que tudo é um mar de rosas e que não há desvantagens ou coisas a serem aplicadas. Vamos ver quais são as desvantagens de viajar sozinha e como podemos dirigi-las da melhor maneira?

Como não dividimos as despesas com ninguém e dependendo do nosso estilo de viagem, vamos acabar gastando um pouco mais do que se estivéssemos acompanhadas. Single Supplement é uma taxa da indústria do turismo cobrada do viajante solo, compensatória para cobrir os custos fixos de manutenção e perdas das maiorias dos hotéis, navios de cruzeiros e, em alguns casos, por agências que oferecem passeios se apenas uma pessoa ocupar o espaço de duas pessoas.

Um exemplo disso são os passeios que exigem um mínimo de pessoas para acontecer e, não há ninguém interessado naquele passeio, no dia que você tem interesse em fazê-lo.  A agência cobra o custo mínimo para saída e, na maioria das vezes, não compensa.

Dividir a diária de locação de um carro, perder um passeio ou até mesmo o voo para o próximo destino e não ter ninguém para acordá-la. Registrar sua viagem e não estar nas fotos, querendo ou não, você terá que aprender a tirar selfies ou pedir uma pessoa de confiança para fotografar.

Sair à noite já é um pouco complicado. Além de ficarmos receosas com as más interpretações e com a violência, sair na noite sozinha ainda causa muita apreensão. Acabamos aproveitando o dia com varias programações e à noite optamos por descansar evitando as saídas noturnas.

Difícil passar protetor solar nas costas sozinha, na praia ou mesmo em passeios de barco, com paradas para banho. O problema é o que fazer com as nossas coisas quando vamos mergulhar?Cuidado! Quando estiver na noite (balada) ou em passeios, não exagerar na bebida alcoólica. Você precisa voltar para o hotel tranquila, sem perder os instintos e continuar atenta ao que está acontecendo a sua volta.

Solidão!Tem gente que administra isso muito bem e outras ficam deprimidas pelo fato de estarem sozinhas. Bem, você pode desistir de viajar sozinha ou descobrir que viver esses momentos, pode ser gratificante.

Quando decidimos viajar sozinha, as desvantagens vão sendo administradas na medida em que descobrimos a necessidade de viajar cada vez mais, em um vôo solo. Aprendemos que, contornar as situações que vão surgindo na melhor maneira possível acaba sendo uma questão de pratica. Viajar, Viajar e Viajar!

Na hora de planejar a viagem, bate aquela dúvida:

  1. Viajar sozinha por conta própria e planejar tudo.
  2. Ou usar uma agência de viagens e não se preocupar com nada.
  3. Preferir um roteiro amarradinho ou ficar livre e fazer o que der na telha quando acordar no seu destino.

Não tem uma resposta certa ou receita mágica, pois depende muito do seu temperamento e estilo de viagem.

Vários fatores devem ser levados em conta na hora de escolher se vai viajar sozinha por conta própria ou usar uma agência. Eu, particularmente, adoro planejar cada detalhe, mas, muitas vezes, uso agências locais para fazer passeios e ter apoio ou até mesmo para comprar as passagens.

Qualquer uma das opções é válida na hora de viajar e cada uma delas tem prós e contras. O importante que a melhor opção para o seu estilo de viagem seja avaliada por você.

Não tenha medo de viajar sozinha, pelo menos uma vez na vida, é mais fácil do que parece. E uma experiência transformadora! Voo solo é a melhor maneira de conhecer o mundo aos seus próprios olhos, sem desviar a atenção para o outro, ou para as necessidades do outro, preferências, gostos e personalidade. Quem faz o seu roteiro é você, e seguir a risca ou não só depende de você.

Tenho certeza que durante esse período, haverá a possibilidade de se conectar consigo e se reinventar. Você não será a mesma pessoa quando voltar dessa viagem, porque com esses elementos viajar sozinha colocará você em varias situações em que será necessário fazer escolhas, tomada de decisões, saber ouvir a si mesma e se superar.

Felizmente, as viagens que fiz sozinha me ensinaram a conhecer o meu verdadeiro eu, o que é importante realmente para mim, valorizar a minha essência, crescer como ser humano, saber que eu sou a única responsável por conseguir as mudanças que quero e a força de vontade que não me faz desistir.

E ai , quando percebemos, a nossa vida não é mais a mesma, coisas que não conseguíamos ver antes e sentir, se tornam completamente diferentes, por motivos distintos. Somos outros. A pessoa que sou hoje é melhor do que a que fui ontem. Acima de tudo, tenho orgulho da pessoa que eu sou hoje, porque sei que posso fazer coisas das quais me orgulho. Isso é evolução pessoal.

Espero que tenham gostado desse post. Conta-me como foi viajar sozinha pela primeira vez?Vou gostar de ler sua história! E para quem já faz isso com frequência, quero saber como você se sente hoje?

 

 

Comentários

Comentários



O que achou desse post?


%d blogueiros gostam disto: