Vamos falar sobre Viagens? – por Daniela Menti

Vamos falar sobre Viagens? – por Daniela Menti

Eu gostaria muito, mas muito mesmo, de ser como qualquer amigo meu, que termina a faculdade, arruma o emprego dos sonhos, ou nem tão dos sonhos assim, ganha um salário razoavelmente bom para jantar em restaurantes chiques, compra o carro do ano e se “estabiliza na vida” como diz minha mãe. Mas não consigo. Em vez disso, sou ilustradora freelancer e consigo guardar todos meus pertences em 3 caixas de papelão. Ou melhor, em uma mochila de 50 litros.

E foi o que eu fiz em 2016. Viajei. E descobri que nem tudo é possível ser organizado com antecedência, e às vezes acredito que tem alguém do outro lado pensando “meu deus, ela é louca”. Dei muito trabalho ao meu anjo da guarda, e espero que ele não desista de mim neste ano. Agora que estou de volta com minha família, não por muito tempo, preciso responder àquela pergunta mais difícil: “Qual foi o melhor lugar que você conheceu em 2016?”. Como responder? O que significa melhor lugar? Como eu já escrevi em outros textos, aquela ilha gelada que filmaram Game of Thrones roubou meu coração. A Islândia está no topo da minha lista, seja por paisagens, seja por experiências diferentes.

Em oito dias num camper com mais quatro pessoas que conheci no dia em que cheguei no aeroporto de Reykjiavik, consegui escalar dois vulcões, atolar numa geleira, descobrir que 5 graus pode ser o alto verão do país, tomar um único banho em piscinas termais no meio de um deserto, rodeado por montanhas nevadas. E sim, foi aqui que vi as paisagens mais lindas e diferentes.

Falando sobre paisagens incríveis e pouco conhecidas, a ilha de Zakyntos compõe o arquipélago das ilhas Jônicas na Grécia, também me deu um bom trabalho. Não sou fã dos pontos extremamente turísticos, e estas opções menos conhecidas acabam sendo mais baratas e incríveis. Bastou pegar uma balsa, um ônibus e o lombo de um burrinho, o taxi de lá, para chegar neste paraíso.

Continuando com as praias incríveis, que tal pegar um ônibus que existe apenas em dias ímpares da semana, numa viagem de 14h sem ar condicionado, com um banco quebrado e uma doce senhora de 180 kg atrás de você chutando seu banco e gritando em algum idioma desconhecido no celular? A ideia de pegar este ônibus, partindo da cidade de Kotor, em Montenegro, e atravessar toda a Albânia em direção a antiga Jugoslávia pode parecer meio assustador, mas no final da viagem incansável, cheguei a cidade de Ohrid, na Macedônia. Não existem praias lá, porém existe um dos lagos mais antigos do mundo,  a locomoção foi bem complicada devido o uso do alfabeto cirílico e quase ninguém falar inglês.

Se você achar muito complicado fazer esse trajeto de atravessar a Albânia para encontrar um lago maravilhoso, você pode ficar na cidade de Kotor mesmo, em Montenegro. No verão a água da baía é quentinha e recebe alguns poucos turistas. Então você encontra um lugar animado, mas não tão cheio como as praias conhecidas da Europa.

Vista da Baía de Kotor

Ok chega de praias. Vamos falar de comidas. Que lugar vêm a sua cabeça quando pensamos em boa comida e bom vinho? Exato, a Itália. E que tal pegar uma bicicleta, andar 80km, com a mochila cheia de comida, uma barraca, e umas garrafas de vinho? É claro que a ideia foi uma furada, mas as vilas ao longo do caminho que leva para Arsié no interior da região do vêneto fez valer a pena todo o sacrifício.  A pequena cidade é presenteada com o Lago di Corlo, que foi o quintal da nossa barraca por alguns dias.

Quem quiser conferir mais fotos de destinos não muito conhecidos, loucuras, e muitas aventuras pode me seguir no instagram: @momentosdemochila O destino para 2017 já foi escolhido, e vamos esperar pra ver se o meu anjo da guarda lá do início do texto vai continuar fazendo sua parte!

Quer ser nossa Correspondente? Escreva seu relato de viagem e compartilhe conosco através do email: necamcorrespondentes@gmail.com. Sua história merece ser lida!

Comentários

Comentários

Mulheres tão particulares, com um único objetivo em comum, viver as melhores (e maiores) aventuras já vistas. Juntas ou sozinhas, nós queremos é viver! E compartilhar nossas experiências para que possamos inspirar cada vez mais, outras mulheres.



O que achou desse post?


%d blogueiros gostam disto: