The Hostel – uma viagem no tempo em meio Vila Mariana – SP

The Hostel – uma viagem no tempo em meio Vila Mariana – SP

Quem acompanha os nossos stories pelo instagram – aproveita e segue lá @naestradacomasminas – sabe que recentemente fui a São Paulo com a Clara, essa foi uma viagem muito significativa por uma série de fatores – primeiro por ter sido a nossa primeira viagem oficialmente “sozinhas”, conheci finalmente amigos virtuais de anos e alguns de não tanto tempo assim, mas tão queridos quanto e que significam muito pra mim e ainda conheci lugares muito charmosos, dentre eles o The Hostel.

O The Hostel é uma rede de Hostels que oferece um ambiente confortável e prioriza a integração das pessoas, não apenas umas com as outras, mas com o próprio ambiente, fiquei muito encantada com o Castelo da Vila Mariana e vou contar para vocês como foi essa incrível experiência.

Sobre o The Hostel

A ideia de criar um Hostel surgiu de uma viagem que Johnny fez com sua avó para aprender a falar espanhol, ele largou o surf mesmo em dias de ondas iradas para mergulhar de cabeça na ideia de elaborar um plano de negócios      . Com o apoio de um amigo Johnny decidiu embarcar rumo aos EUA, uma aventura e tanto para quem não tinha dinheiro nem lugar para ficar e foi lá que ele entrou num hostel a primeira vez. Enquanto isso, um velho conhecido de Johnny na mesma época abria um pequeno negócio no Brasil e tentava dar vida ao sonho de cuidar do marketing do seu próprio negócio, apesar de perceber nessa amizade uma potencial sociedade Johnny sentia que faltava alguém para completar esse time e esse alguém estava terminando a faculdade. André se apaixonou por viagens ainda jovem e, para melhorar o seu inglês decidiu fazer um intercâmbio no Canadá. Decidido a fazer mais uma viagem, ele seguiu rumo a África do Sul e lá ele trabalhou num hostel o que o motivou a trazer essa experiência consigo de volta para o Brasil, na volta pra casa André escolheu os Hostels de São Paulo como tema para seu trabalho de conclusão de curso e foi nesse momento que um amigo em comum percebeu que os três precisavam se encontrar e convidou Johnny e Thiago para assistirem o TCC de André.

A situação era: Johnny tinha um plano de negócios que não obteve o sucesso esperado, na primeira tentativa de execução. Thiago estava em processo de falência e André pediu demissão assim que foi convidado para participar desse novo projeto que envolvia uma parceria entre os três – que recebeu o nome temporário de “Azul com Verde”.

Depois de muito pesquisar o local perfeito e encontrar um investidor que acreditasse na ideia deles, um prédio antigo e quase abandonado a apenas um quarteirão da Avenida Paulista ganhou cores, bandeiras, alegria e a energia positiva de alguém com um desejo insaciável de explorar o mundo. E assim surgiu a Rede The Hostel.

Quartos

Assim que chegamos ao The Hostel fomos acomodadas em um quarto privativo simples no térreo em frente à recepção. O quarto possuía uma cama de casal e mais dois beliches, o que pode ser uma boa opção para quem viaja com amigos e/ou família e quer um pouco mais de privacidade, no quarto tinha um ventilador enorme – que foi totalmente dispensável por que estava muito frio, inclusive eu achei que ia morrer de frio à noite, mesmo tendo usado as três cobertas disponíveis no quarto – risos, no quarto havia ainda um espelho, toalhas e alguns itens de higiene pessoal de cortesia, não possui armário.

O Hostel oferece ainda Quartos coletivos – de Mistos de 6, 9, 11, 12 e 17 camas com banheiro compartilhado e um feminino com 8 camas, banheiro também compartilhado.

Além dos quartos privativos eles oferecem também Suítes – Superior e Master.

Banheiros

No térreo possui dois banheiros compartilhados, um próximo da recepção, onde há pias e boxes para tomar banho e escovar os dentes, a área do banho feminino é separada do banho masculino, mas as pias ficam num “corredor comum” a ambos.

E possui também um banheiro na área comum, estes não possuem área para banho, nesse banheiro eu encontrei certa dificuldade na hora de fechar as portas, é bem pequeno, mas bem limpinho.

Infraestrutura do Hostel

Eu fiquei muito encantada primeiro com a entrada do Hostel que nos remete a um Castelo mesmo e segundo com a decoração. Ele é todo grafitado e possui nas escadas uns dizeres bacanas, combina muito com o ar urbana de São Paulo, a decoração orna muito bem um ar rústico e atual, é realmente impressionante como conseguiram mesclar coisas tão diferentes sem ficar grotesco.

A área comum é um show a parte, eles possuem uma estante compartilhada de livros, a cozinha que é bem espaçosa e equipada, uma área de rede – que sem dúvidas a Clara adorou né! E uma sala de TV surpreendente!

A primeira vista fiquei um pouco desconfiada e ao mesmo tempo curiosa para conferir a sala de TV, por que é como uma caverna, mas quando entrei fiquei encantada, eu achei genial por ser diferente das salas de TV que estamos acostumados a ver em todos os lugares, ponto pra eles.

Café da Manhã

No café da manhã, tinham alguns pães, uma opção de fruta, algumas opções de refresco, um bolo e alguns biscoitos, porém o leite não estava quente, eu não perguntei se deveríamos esquentar nosso próprio leite, falha minha confesso, mas de repente seja uma boa ideia colocar numa garrafa térmica, só o café estava na garrafa térmica, por isso fiquei na dúvida se esquentar o leite era tarefa nossa – risos.

Eles possuem ainda uma cozinha toda equipada para quem preferir preparar sua refeição no próprio hostel, uma ótima pedida para quem busca economizar na viagem, na rua principal onde o Hostel esta localizado podemos encontrar diversos mercados.

Localização

O The Hostel Vila Mariana é muito bem localizado – eu desci na estação errada quando cheguei, mas vivendo e aprendendo – risos. Desci na Vila Mariana e andei alguns quarteirões, porém ele é muito perto do metrô ANA ROSA, então fiquem atentos à isso, para não transformarem cinco minutos em vinte.

Ele também está a alguns quarteirões de distância da Avenida Paulista e do Ibirapuera. O legal é que quando chegamos no Hostel eles nos dão um mapinha da cidade com as coisas mais próximas e nos ensinam como chegar. Uma das coisas que mais gostei lá foi perceber o quão solícitas as pessoas são, eu confesso que estava um pouco receosa pela fama de Paulista ser mal educado e não curtir muito carioca, mas eu me surpreendi e encontrei pessoas muito simpáticas durante toda a viagem – graça a Deus!

Serviços

O The Hostel ainda oferece alguns serviços muito interessantes, como:

– Recepção 24 horas
– Bar (no Terraço)
– Banheiros e vestiários com chuveiros quentes
– Computadores com livre acesso, impressora e scanner
– Cozinha totalmente equipada
– Recepcionistas bilíngües, atenciosos e preparados para dar assistência turística e dicas da cidade
– Empréstimo de cadeados e adaptadores
– Traslados para Hostel e Aeroporto

Qual o valor da diária

Os preços variam de R$ 60 a R$ 118. Vocês podem entrar em contato com o The Hostel pelo site e fazer sua reserva por lá mesmo, ou entrar em contato pelo telefone +55 11 2302-3163 ou pelas redes sociais:

Site: http://www.thehostelvilamariana.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/thehostelvilamariana

Instagram: https://www.instagram.com/the_hostel/

Gostaria de agradecer a toda Equipe do The Hostel que nos recebeu tão solicitamente.

Comentários

Comentários

Cami Santos, mãe da Clara, carioca com alma de cigana, ariana dos pés a cabeça, 22 anos. Estudante de Jornalismo, feminista negra interseccional, escritora e apaixonada por moda, viagens, fotografia e música.



O que achou desse post?


%d blogueiros gostam disto: