ROTEIRO COMPLETO DE 5 DIAS EM SÃO LUIS DO MARANHÃO – POR JANDIRA MACIEL

ROTEIRO COMPLETO DE 5 DIAS EM SÃO LUIS DO MARANHÃO – POR JANDIRA MACIEL

           

Está planejando um roteiro de viagem para São Luis do Maranhão? Estive lá para comemorar o meu aniversário em novembro de 2016 e neste sexto post vou contar pra vocês essa experiência enriquecedora e incrível que vivi. Estão prontos galera! Para turistar e viajarmos juntos na cidade de São Luis do Maranhão? Vambora comigo? Nosso próximo destino será.

SÃO LUIZ DO MARANHÃO-DICAS E ROTEIROS

 

O ideal para quem tem interesse em visitar a capital é montar um roteiro incluindo o Centro histórico, Lagoa da Jansen, as praias: Ponta D‘areia, São Marcos, Calhau, Olho D’Água e Araçagy, os lençóis Maranhenses e atrativos próximos como Alcântara, Raposa e São José do Ribamar.

Hospedagem: Para quem quer economizar com a hospedagem a dica é Hotel Soft Inn São Luiz, um hotel do tipo “executivo” bem localizado, próximo a praia Ponta D’Areia, entre o centro histórico e a praia do Calhau, perto de restaurantes, farmácias, mercados, bancos e bares. Estacionamento próprio, ótimas acomodações e o atendimento é muito bom. É um excelente custo benefício. Vale à pena conferir!

CENTRO HISTÓRICO

Escadaria no Centro Histórico de São Luís

O Centro Histórico de São Luís é uma verdadeira visita ao passado. Um conjunto de prédios históricos que constituem sobrados, casas térreas e solares, com as eiras, beiras e tribeiras típicas da época. Os sobrados possuem até quatro pavimentos, com fachadas de azulejos, ruas e escadarias de pedra.

Entre os prédios históricos que merecem destaque, estão o Palácio dos Leões (sede do governo do estado), o Palácio de La Ravardière (sede da prefeitura), a Catedral de São Luís, o Palácio Episcopal, o Convento do Carmo, o Convento das Mercês, a Casa das Tulhas, as igrejas do Rosário e do Desterro, a Casa das Minas, das Fontes e das Pedras, e o Teatro Artur Azevedo.

Rua Portugal – Conjunto de casarões revestidos com azulejos coloniais

Uma das ruas mais bonitas, a Rua Portugal faz parte do bairro de Praia Grande, com casarões de fachadas de azulejos bem conservados, ruas e becos, vistos exatamente como quando foram erguidos. Foi ali que funcionou o primeiro elevador da cidade e hoje abriga órgãos públicos e muitas lojinhas cheias de opções de presentes.

A sede do Governo do Estado do Maranhão fica na Praça Dom Pedro II, com vista à baía de São Marcos. É um palácio que abriga o governador do estado do Maranhão e sua família, apresenta uma arquitetura imponente e exuberante. Um excelente local pra aprender sobre a história de São Luís numa visita bem monitorada. O local é aberto à visitação gratuita, mas a visita é agendada.

Como ir a Centro Histórico: Através da agência contrata, incluso o passeio e o guia (com duração de 03h30), taxi ou Pegue qualquer ônibus que tenha acesso ao Terminal da Praia Grande ou que passe em frente a ele. Desça e atravesse para o outro lado da Avenida Vitorino Freire. Pronto, você já está no Centro Histórico.

ROTEIRO: Saída do hotel, passando pelas praias do Calhau, São Marcos, Ponta D’ areia e Lagoa da Jansen, até o Centro Histórico. O guia nos acompanha durante o percurso, oferecendo várias explicações históricas sobre os prédios, monumentos e centenas de imóveis seculares por ali ao redor.

A caminhada começa na Rua do Sol, que abriga o Museu Histórico e Artístico do Maranhão e o Teatro Arthur Azevedo. Dali, atravesse a Rua do Egito e siga para a parte mais baixa da cidade.

Caminhando pelo centro histórico conheça o Mercado das Tulhas, também conhecido por Feira da Praia Grande. Boa parte do tempo da caminhada é pela parte baixa do centro histórico até chegarmos ao Beco da Catarina e então pela Rua Portugal e Rua do Giz, até a Praça da Faustina.

Chegamos então na Praça Pedro II, onde aconteceu boa parte da história de São Luís. (Vale à pena caminhar até o Mirante do rio-mar) Daí, siga para o outro lado, até a Matriz da Sé, a Casa de Nhozinho e o Palácio dos Leões. Tem também o Convento das Mercês, uma construção bem interessante (boa para tirar fotos).

Outro museu muito interessante é o Museu de Paleontologia do Maranhão (Museu dos Dinossauros). Já no final fazer uma parada na Casa do Maranhão para comprar o melhor do artesanato local.

DICA: Fique esperto com seus objetos pessoais e evite ostentar objetos que chamam a atenção de oportunistas, como câmeras, celulares e jóias, e mantenha sua bolsa ou mochila sempre bem próxima de você. Á noite evite ruas mais desertas e escuras. Use um calçado confortável e roupas leves. Não se esqueça do protetor solar e de se hidratar.

LAGOA DA JANSEN

A lagoa que recebeu o nome de Ana Jansen-Rainha do Maranhão (uma mulher da alta sociedade e a frente do seu tempo, que ficou conhecida pela sua reputação de uma mulher cruel e assassina de criança e escravos). O comportamento liberal e avançado fez dela uma poderosa senhora de terras, de escravos e líder político. Na época da escravidão existiam boatos de que Ana só comprava os escravos mais bonitos e dotados. Ela se deitava com eles o tempo que achasse necessário e quando abusava mandava dar cabo deles para que eles não falassem pro povo dos seus gostos excêntricos. Por isso foi condenada a vagar perpetuamente pelas ruas da cidade numa carruagem assombrada.

Como ir a Lagoa da Jansen: Caminhar é uma boa opção para quem estar hospedados nos Hotéis na Ponta D’areia que ficam próximo da Lagoa da Jansen, e na avenida litorânea. Quem fica mais distante a opção é ônibus e taxi até o local.

ROTEIRO: Lagoa da Jansen fica pertinho da Praia Ponta d’Areia que juntas formam o  Parque Estadual da Lagoa da Jansen, localizado numa área urbana, oferece uma bela paisagem e áreas de lazer, local que se encontra pistas de caminhada arborizada, ciclovias e ao redor vários bares e restaurantes.

O destaque por ali é a vida noturna agitada. Pois tem opção para todos os gostos em relação ao estilo musical e alimentação, bons restaurantes e barzinhos. O ritmo predominante de São Luís é o reggae, que mistura elementos africanos, caribenha e ganha uma cara própria no Maranhão.

DICA: É preciso cuidado ao andar sozinho, em qualquer horário.

PRAIAS: Ponta D‘areia, São Marcos, Calhau, Olho D’Água e Araçagy,

PRAIA PONTA D’AREIA

A Praia da Ponta d’Areia fica perto do Centro histórico, apenas 4 km, mas se o turista ficar na nova zona hoteleira, ela fica muito próximo. É uma praia mais popular. É considerada a primeira Praia, após cruzarem a Ponte José Sarney (pra variar!). Uma paisagem lindíssima, com extensão de areia branquinha, o mar é calmo propício para a prática de esportes náuticos, como caiaque e jet ski.

Por lá, concentram-se casas de caldos, massas, barzinhos e restaurantes, além de ótimas opções de hotéis e pousadas com um excelente custo/benefício. A praia é um espetáculo, especialmente no momento do pôr do sol. Lindo demais, vale curtir o momento mágico.

PRAIA SÃO MARCOS

Praça dos Pescadores – Praia de São Marcos

A praia de São Marcos fica na orla litorânea é uma das mais tradicionais e bem urbanas da cidade. Pouco movimentada, tranqüila, bucólica, ótima para passear no fim de tarde e bem interessante para quem gosta de praticar esportes como o Kaitsurf.

Ótima para caminhar, correr e pedalar. A comida típica do maranhão é bem interessante. O pôr do sol também é lindo! Podem-se visitar as ruínas do Forte São Marcos e o monumento “Os Pescadores”, além de uma feirinha artesanal para adquirir lembranças.

É uma boa opção para passar bons momentos, para curtir o dia e a noite, com bons quiosques ao som de reggae, seja com a família ou amigos.  Vale à pena!

DICA: Tomar cuidado, pois o policiamento é muito precário.

PRAIA DO CALHAU

Localiza-se próximo a Avenida Litorânea, bairro Calhau. A praia muito boa, local maravilhoso, areia fininha e clarinha a região é tranqüila, água do mar agradável, com muitas opções de bares e restaurantes com valores q cabem no bolso. Muita diversão diurna e noturna com vários quiosques com musica ao vivo. O movimento se estende noite adentro. É comum ver as pessoas no calçadão, da Avenida Litorânea, praticando esporte em locais próprios, caminhando, jogando conversa fora, assim é o Calhau!

DICA: O sol é muito forte, protetor solar, chapéus e bonés são itens indispensáveis.

PRAIA ARAÇAGY

http://kamaleao.com/saoluis/6658/praia-do-aracagy

Ótima opção para quem gosta de agito. A praia do Araçagy fica uns 30minutos distante de São Luís é uma das mais famosas. Rústica, diferente, o mar é quentinho mesmo no inverno, a culinária é ótima, com preços justos e serviços de restaurante na areia, muitas opções de barracas com redes preguiçosas para deitar, movimentos e estacionamentos de veículos na areia, muito som e badalação. (vale à pena conferir) .

DICA:

  • Tomar muito cuidado, quem vai com criança, existe o tráfego de veículos na areia;
  • Não é aconselhável se aventurar além da área dos bares;
  • Convém se informar dos horários em que a maré sobe;
  • Protetor solar, chapéus e bonés são itens indispensáveis.

LENÇÓIS MARANHENSES

O Pólo Parque dos Lençóis, situado no litoral do Maranhão, envolve os municípios de Humberto de Campos, Primeira Cruz, Santo Amaro e Barreirinhas, este último sendo o principal portão de entrada para esta fantástica beleza natural.

O Passeio inclui aventura e muita emoção! Toma-se um Jipe, que atravessa o rio numa balsa e do outro lado, encontramos o parque dos Lençóis, anda-se cerca de 10 km por uma trilha bem acidentada (Adrenalina pura!). Ao chegar às dunas é hora de saltar e encarar uma boa caminhada na areia! É Incrível! Anda-se muito, subimos e descemos dunas… Mas a visão das lagoas, em contraste com o deserto, e poder se refrescar nelas é maravilhoso! Assistir o pôr do sol nos lençóis é uma cena indescritível!

Arroz de Cuxá – delicioso – e um peixe pra acompanhar.

Como ir aos Lençóis Maranhenses: De ônibus a viagem é realizada pela empresa Cisne Branco saem quatro vezes ao dia de São Luís para Barreirinhas nos horários (6h, 8h45, 14h e 19h30), agências locais (Van ou microônibus), saída do hotel por volta das 5h da manhã com duração de 4 horas ou de carro, utilize a BR-135 e a MA-402.

ROTEIRO: A primeira parada é após 100 km no município de Morros, onde podemos almoçar. Em seguida Barreirinhas (portal de entrada para o parque nacional dos Lençóis Maranhenses) para trocarmos de veículo, agora o trajeto é feito de Toyota bandeirante (jardineira) são aproximadamente 40 minutos (emoção pura!), passando por trechos bem alagados com vegetação bem densa, ao chegarmos às dunas descemos, pois é extremamente proibida a passagem de veículos e caminharemos para conhecermos as dunas e as lagoas.

Qual é a melhor época para visitar os Lençóis Maranhenses: Existe mesmo uma época correta para se visitar os Lençóis Maranhenses vai de junho a agosto. É nesse período que as lagoas enchem e a paisagem se transforma em um paraíso. Para ter certeza de lindos dias de sol e lagoas cheias, o melhor é investir nos meses de junho, julho e agosto. Vale repetir que a temporada de chuvas não é exata e pode variar de um ano para o outro.

DICA: Trazer somente shorts, camisetas, sandálias, chapéu/boné e roupa de banho, repelente, óculos escuro e protetor solar não podem ser esquecidos de colocar na bagagem.

ALCÂNTARA

Alcântara é uma cidade que abrigam espaços culturais e muita natureza. A atração fica por conta do conjunto de casarões, sobrados que retrata a história de apogeu, decadência sobre barões e seus escravos. Ruínas muito bem conservadas, com aparência e textura antiga que faz o Largo da Praça da Matriz um museu a céu aberto.

Como ir a Alcântara: Vocês podem contratar o passeio por uma agencia local com saída do hotel ou pegar qualquer ônibus que tenha acesso ao Terminal da Praia Grande (Cais da Praia Grande – Rampa Campos Melo). A travessia é feita através de barcos e catamarã, com duração aproximadamente de 01h20min. Em Alcântara o desembarque é no Porto do Jacaré. Os horários vão variando conforme as marés, as saídas são entre as 5h e 09h30min h e a volta é entre as 13h e 16h30min.

Ruínas da Matriz de São Matias

 ROTEIRO: Do cais avista-se uma bela cidade, suspensa por ladeiras, desça e atravesse para o outro lado da Avenida Vitorino Freire. Pronto, você já está no Centro Histórico. Para conhecermos a cidade histórica levaremos menos de duas horas depois de vencer a Ladeira do Jacaré, que leva do cais ao topo da colina, o único obstáculo será o sol alto. Logo na subida para a parte alta da cidade é possível encontrar diversos casarões atualmente em ruínas com uma linda paisagem da Ilha do Livramento ao fundo, mas que guardam uma grande história da cidade.

Além do passeio pelo Centro Histórico, as paradas obrigatórias: O Museu Histórico de Alcântara, que fica numa das esquinas da Praça da Matriz, em frente ao Pelourinho e à majestosa ruína da igreja de São Matias. Mais adiante na Rua Grande, a Casa do Divino, onde acontece a maior festa da cidade, que se realiza depois da Páscoa. Seguindo a Igreja do Carmo, as ruínas do Convento dos Padres Carmelitas, ruínas da Igreja da Ordem Terceira de são Francisco, subindo na direção oposta ao mar vocês vão dar na praça da igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, o casarão azul-celeste e à sua direita a curiosa Casa de Cultura Aeroespacial (Base de Lançamentos de Alcântara) com a principal atração um foguete.

Depois de caminhar bastante pelas ruas de Alcântara, vão até o Restaurante Cantaria, fica no mirante que dá vista para a Ilha do Livramento e aproveite o delicioso peixe na telha ao molho de camarão com arroz de cuxá e um creme de camarão: É gostoso de mais! Vocês não vão se arrepender!

DICAS:

  • Procure saber os horários de saída e retorno, porque variam de acordo com a maré, o melhor a fazer é passar no Cais da Praia Grande no dia anterior ou ligar para os barqueiros:
  • O mar é mais agitado no período de junho a dezembro, portanto informe-se antes do passeio e tome suas precauções em relação ao enjôo tomando remédio antes se necessário;
  • Levar um boné, chapéu e ir com roupas bem frescas, usem e abusem do protetor solar, tome muita água e, se tiver disposição, usem uma sombrinha, porque a cidade é extremamente quente.
  • Para almoçar, a melhor pedida antes da caminhada é reservar no Restaurante Cantaria que serve um delicioso peixe na telha com molho de camarão e três arrozes (branco, de mariscos e de cuxá), que fica no finalzinho do Beco da Rua Pequena, em frente à igrejinha do Desterro, com vista para o sino da igreja e para o mar. (vale à pena conferir)

RAPOSA

Raposa, uma vila de pescadores, que se vive da pesca e por suas rendeiras de bilros. Os principais atrativos são os passeios nas praias e dunas da região. É imperdível o passeio de barco, feito em uma embarcação regional. Oferecem paisagens semelhantes às dos Lençóis Maranhenses (apelidadas de Fronhas Maranhenses) que proporciona um lindo visual de dunas, praias desertas e igarapés cobertos de mangue.

 Como chegar a Raposa: Vocês podem contratar o passeio por agência local (destino Raposa e São Jose de Ribamar) e Individual, com saída do hotel, solicitar um taxi na recepção, que é uma boa opção para quem vai sair em grupo e de ônibus saindo do hotel para os terminais e dos terminais para Raposa.

Para quem gosta de ser nativo do lugar existem duas opções de ônibus. A mais barata é a linha Raposa, que entra no Terminal de Integração COHAB/COHATRAC. A outra opção é tomar o ônibus de linha da Viação Litoral que partem do Mercado Central, em direção ao município. A duração da viagem é aproximadamente 1 hora.

Praias desertas e igarapés cobertos de mangue.

 ROTEIRO: O passeio começa no município de Raposa, com visitação na vila de pescadores, que moram no meio de uma área de manguezais. Parada para entrar em todas as lojinhas, se encantar, conversar com as rendeiras e comprar os ricos artesanatos no corredor das Rendeiras que fica na Avenida Principal que dá acesso ao centro do município. No corredor podemos encontrar algumas quitandas com vendas de frutas, doces, água geladinha e frutos do mar.

Em seguida o passeio de barco regional com saída do porto da vila de pescadores de Raposa, passando por igarapés, nas dunas (Fronhas Maranhenses), na linda praia deserta de Carimã (praia tranqüila, sem ondas e de águas claras) e na ilha de Curupu. Parada obrigatória para quem gosta de natureza e boa comida.

Após o almoço no restaurante em frente ao cais (almoço não incluído)  a visita continua na cidade de São José de Ribamar.

  • DICAS:
    • Levar um boné, chapéu e ir com roupas bem frescas, usem e abusem do protetor solar.
    • Fronhas Maranhenses não á restaurante e bares. Portanto, leve pelo menos água;
    • Checar as tábuas das marés.

SÂO JOSÉ DO RIBAMAR

Igreja de São José de Ribamar, com vista da praça com estátuas tendo como inspiração passagens da Bíblia.

É uma pequena cidadezinha que respira fé e uma brisa constante vinda do mar, com pouca atração turística e afastada de São Luiz, São José de Ribamar é uma cidade de turismo religioso que leva o nome do padroeiro do estado do Maranhão. O que impressiona neste local é uma gigantesca imagem de São José e do menino Jesus e a bela visão da baia de São José.

Como chegar a São José do Ribamar: Vocês podem contratar o passeio por agência local (destino Raposa e São Jose de Ribamar) e Individual, com saída do hotel, solicitar um taxi na recepção, que é uma boa opção para quem vai sair em grupo e de ônibus saindo do hotel para o Terminal de Integração COHAB/COHATRAC e tomar o ônibus Ribamar. A duração da viagem é aproximadamente 1 hora.

ESTATUA SÃO JOSÉ DO RIBAMAR

ROTEIRO: Continuando o passeio de Raposa e São Jose do Ribamar ou direto de São Luis á São Jose do Ribamar, a parada é no centro da cidade onde se encontra a Igreja Centenária de São José de Ribamar.

Na porta da Igreja, olhando em direção ao mar, você vê oito grandes esculturas com temas religiosos. A única que não é relatada na Bíblia é justamente a primeira escultura do lado esquerdo e que representa São José no colo de Jesus e de Maria após sua morte. Ao fundo, pode se vê um palco. Nesse local, são realizadas as missas festivais do município. Ela tem formato de um livro aberto, porém só se percebe que é um livro aberto quando se chega próximo ao mirante de São José.

Chegando ao mirante encontramos uma gigantesca imagem de São José e do menino Jesus e a pequena Gruta de Lourdes que fica ao lado da estátua descendo uma rampa em espiral com uma ótima visão de algumas praias e da Baía de São José.

Continuando os principais pontos turísticos de São José de Ribamar são: Casa dos Milagres, Museu dos Ex-votos, Loja de Artesanato e as Praias do Meio, Araçagi, Panaquatira, Ponta Verde, Jararaí, Juçatuba, Caúra e Boa Viagem.

DICAS: Levar um boné, chapéu e ir com roupas bem frescas, usem e abusem do protetor solar.

Espero que tenham gostado desse post, com dicas e sugestões  para quem deseja conhecer São Luis do Maranhão. Aguardem o próximo destino!

 

Comentários

Comentários



O que achou desse post?


%d blogueiros gostam disto: