Prainha e Mirante do Caeté

Prainha e Mirante do Caeté

Sempre que pensamos nas praias do Rio de Janeiro , normalmente, logo vem à cabeça praias como Copacabana, Ipanema e Leblon, isto é, Zona Sul em geral. Obviamente são as mais famosas e cartões postais da nossa Cidade Maravilhosa. Mas sabiam que, muito além dali, existem praias igualmente incríveis? E não são poucas não ein!

Uma dessas praias é a chamada Prainha, localizada na região do Recreio dos Bandeirantes, próxima ao bairro de Grumari. Tradicionalmente, ir até esta região sempre foi mais complicado, por serem locais mais distantes da zona turística carioca. Acontece que, com o sistema BRT cruzando toda a Zona Oeste, tudo ficou mais acessível, permitindo-se que muitas pessoas conhecessem esta região com mais facilidade! Recentemente, pude ir até lá conferir e agora conto para vocês tudo que vi e como se faz para chegar neste lugar, que é, certamente, imperdível!

A PRAINHA

A Prainha possui uma faixa de areia com apenas cerca de 150 metros de extensão. Está localizada em uma área de proteção ambiental e é cercada por muita vegetação de Mata Atlântica, formando uma paisagem belíssima! É uma praia com muitas ondas e, por isso, considerada uma das preferidas do surfistas no Rio de Janeiro, palco, inclusive, de alguns campeonatos. Fomos em baixa temporada, portanto, a praia estava com pouco movimento, mas é muito provável que no verão haja bastante gente, ainda que o acesso seja limitado por carro. Como há poucas vagas para estacionamento, em alta temporada recomenda-se chegar bem cedo, para não ter problemas.

Além disso, a pequena praia conta com alguns poucos quiosques que oferecem, além do serviço de bar e restaurante, também o aluguel de cadeiras e barraca. Nós não pagamos nada para utilizar as cadeiras, a única exigência foi a consumação de qualquer item oferecido no cardápio, de comidas ou de bebidas. Optamos por uma cervejinha pra relaxar!

MIRANTE DO CAETÉ

Em frente à praia, do outro lado da rua, encontra-se o Parque Natural Municipal da Prainha, que é uma área reservada à preservação da Mata Atlântica ali presente. Ali você encontrará muitas pessoas fazendo caminhadas, adultos e crianças, pois há toda uma estrutura para atender aos visitantes. O local também é ponto de partida para a trilha que leva ao Mirante do Caeté.

Trata-se de uma pequena trilha, com duração de cerca de 30 minutos. A trilha é super bem demarcada e muito tranquila de se fazer, pois seu nível de dificuldade é leve e não possui obstáculos. Sem dúvida, é uma das mais fáceis do Rio de Janeiro. E o visual compensa viu? Uma vista mega privilegiada da própria Prainha, além da Praia da Macumba, da Pedra do Pontal etc. Uma ótima dica é fazer a trilha primeiro e depois dar um mergulho e relaxar na Prainha. Não se esqueça de levar bastante água, protetor solar e repelente!

Horário de funcionamento: 8h às 17h.

COMO CHEGAR

O acesso à Prainha é muito limitado, sendo possível chegar apenas de carro. Não há transporte público que passe no local. Mas não desanime! A boa notícia é que, caso você não tenha carro, é possível ir até lá combinando transporte público com algum transporte individual de passageiros:

Carro: Partindo da Barra da Tijuca, siga em direção ao Recreio dos Bandeirantes, passando pela Praia da Macumba (Estrada do Pontal) até chegar na Av. Estado da Guanabara, que passa pela Prainha.

Transporte público + uber ou táxi: A melhor opção é utilizar o BRT Transoeste. O acesso ao BRT pode ser feito tanto por metrô (estação Jardim Oceânico) quanto por ônibus para quem vem de outras áreas da cidade. Neste último caso, preferencialmente, o melhor ponto de partida é o Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca. Seja qual for a sua opção, pegue qualquer um dos BRT’s que vá até a estação Recreio Shopping e desça na mesma. De lá, chame um uber ou táxi por meio de aplicativo e peça para ir até a Prainha. Nós pedimos um uber e o valor por trecho foi de aproximadamente R$ 12,00.

Quanto mais pessoas puderem dividir o valor, ficará super em conta. Para voltar, fizemos o caminho inverso. Lembrando que na Prainha o sinal da internet é um pouco limitado, mas existem áreas específicas que funciona, só perguntar para quem trabalha por ali nos quiosques ou no Parque.

Portanto, não tem desculpa para não ir! 🙂

Comentários

Comentários

Advogada, apaixonada por viagens, praias, trilhas e fotografia. Sempre em busca de um novo destino, de mochila nas costas e vontade de ganhar o mundo!



O que achou desse post?


%d blogueiros gostam disto: