Planejamento: Viajando para a Colômbia

Planejamento: Viajando para a Colômbia

Está pensando na Colômbia ser seu próximo destino de viagem? Então tenha em mente que antes de comprar sua passagem de avião é necessário planejamento para não chegar o dia da viagem e ficar faltando alguma coisa importante que te impossibilite embarcar ou passar perrengue na viagem. Em setembro, nossas colaboradoras Bruna, Marina e Luiza estiveram em terras colombianas e reuniram para vocês dicas sobre como fizeram para se planejar para essa viagem e não ter problemas. confiram abaixo:

VEJA TAMBÉM: 5 dicas para economizar em passagens aéreas

 

PASSAPORTE

Apesar da Colômbia possuir um acordo com o Mercosul que a permite ser um dos países que não exige passaporte para os brasileiros no momento da imigração (apenas RG emitido há menos de 10 anos e bem conservado), algumas empresas aéreas que voam para a Colômbia eventualmente podem fazer conexões em países que o exigem. É o caso da Copa Airlines, que é uma companhia aérea panamenha e, por isso, todos os seus voos partindo do Brasil, inclusive para a Colômbia, fazem conexão na Cidade do Panamá obrigatoriamente, no famoso Aeroporto Internacional Tocumen, conhecido por ser o grande Hub das Américas.

Dessa forma, como o nosso voo para Bogotá foi feito pela Copa, tivemos que providenciar nossos passaportes assim que compramos as passagens. A Lu e a Bruna já tinham, e eu, Marina, estava com o meu antigo vencido, por isso, tratei de agendar logo para tirar outro. A verdade é que eu passei um pequeno perrengue com essa parte, pois bem no dia em que eu ia efetuar o pagamento da Guia de Recolhimento para fazer o agendamento da entrega dos documentos na Polícia Federal, a emissão de passaportes foi suspensa, em final de junho desse ano. A “greve” durou um pouco mais de 15 dias e eu, para não perder tempo, fiz o atendimento enquanto ela ainda durava, para depois só aguardar a emissão. De fato, assim que normalizou a emissão novamente, demorou mais umas duas semanas para eu buscar o meu. Acabei pegando o passaporte faltando exatamente um mês para a viagem acontecer.

Deu tempo? Sim, tranquilamente, mas a minha maior dica é: providencie com muita antecedência para não correr o risco de algo do tipo ocorrer. Sem o passaporte, a viagem não aconteceria, o que poderia ter sido muito frustrante. Outra dica é que, mesmo que não seja exigido o passaporte no seu voo, é legal ter, pois assim você tem a oportunidade de carimba-lo para sua coleção de viagens.  Para saber mais sobre como é o procedimento para solicitar o passaporte, confira aqui: http://www.pf.gov.br/servicos-pf/passaporte

VEJA TAMBÉM: 9 países em que brasileiros não precisam de passaporte

CERTIFICADO INTERNACIONAL DE VACINAÇÃO OU PROFILAXIA – CIVP

Eu já tinha tomado a vacina da febre amarela assim que a campanha de vacinação foi lançada, então, só me faltava o certificado internacional. Para quem não tem a vacina ainda, basta ir a um posto de saúde. É super rápido e simples, e ainda vai ser útil em diversas viagens, já que é uma exigência de vários países (inclusive, me pediram o certificado também no Panamá, onde fiz conexão). Para emitir o certificado, basta fazer um cadastro no site da Anvisa. Neste link [http://www.anvisa.gov.br/hotsite/viajante/certificado.html] estão disponíveis todas as informações necessárias, e o cadastro/login pode ser feito por este outro link [https://viajante.anvisa.gov.br/viajante/]. Ao acessar sua conta, é possível fazer o agendamento para a melhor data, mas recomendo que façam com antecedência. Eu consegui vaga com uma semana de distância, mas os horários estavam quase todos cheios – minha vaga provavelmente foi por conta de uma desistência. Por fim, me dirigi ao posto da Anvisa no aeroporto do Galeão na data agendada e foi muito rápido, sem fila nem ninguém na minha frente. Bastou apresentar meu documento e o comprovante de vacinação entregue no posto. Ah, outra informação importante: o certificado internacional vale para o resto da sua vida! Só não pode deixar para tomar a vacina em cima da viagem, viu? Ela só se torna válida depois de 10 dias! Ou seja, é preciso ter um intervalo mínimo de 10 dias entre a data da vacinação e o seu embarque.

Recentemente, descobri que o posto de saúde onde tomei a vacina também está emitindo o certificado na hora. Na época em que fiz o agendamento, eu tinha lido umas notícias dizendo que a emissão não estava acontecendo em outros lugares, mas que normalmente era possível. Ou seja, vale a pena pesquisar na sua cidade. Talvez você consiga o documento bem pertinho de casa! De qualquer forma, nos postos oficiais da Anvisa é sempre garantido.

Só para frisar: não tente embarcar sem o certificado. Já vi muitos relatos de pessoas que nem precisaram apresentar o documento, mas acredito que isso já mudou bastante atualmente. Até no check-in do meu voo foi solicitado, ainda no Brasil. Precisei dele também na imigração do Panamá e da Colômbia. Ou seja, não arrisque!

VEJA TAMBÉM: Vacina da Febre Amarela, certificado internacional de vacinação e agulhas – por Gabriella Ott

DINHEIRO

A moeda oficial na Colômbia é o chamado peso colombiano. Uma das perguntas mais recorrentes para quem viaja para lá é justamente sobre qual moeda levar: dólar, real ou o próprio peso. Atualmente, sem dúvida, a moeda mais vantajosa é o dólar. Mesmo fazendo as duas conversões (primeiro do real para o dólar, e depois do dólar para o peso colombiano), verá que é ainda mais jogo do que somente levar o real. Isso porque o real é super desvalorizado na Colômbia, portanto, você irá perder muito na conversão, mais até do que fazendo as duas conversões. Por outro lado, levar pesos colombianos direto do Brasil também é um péssimo negócio, pois aqui o valor de conversão é ainda pior.

Assim, desde o início eu me programei para levar somente dólares em espécie e, no máximo, cartão de crédito para despesas extras. Fui acompanhando durante dois meses a cotação, que felizmente não variou muito. O maior risco é o dólar disparar em algum momento em função de algum acontecimento extraordinário, no entanto, eu sinceramente prefiro esperar mais a comprar com antecedência, mas vai de cada um. A dica boa mesmo é garantir a melhor cotação, independente da época que você comprar. E para isso, a ferramenta que mais me ajudou foi o aplicativo/site do “Melhor câmbio”, que lista todas as cotações do dia em várias casas de câmbio na sua cidade, mostrando exatamente aquela que é a mais vantajosa. O aplicativo ainda permite que você faça uma oferta para a casa de câmbio e, se ela aceitar, você terá um prazo para efetuar a transferência/depósito do valor e garantir a melhor cotação. Geralmente este prazo é curto, portanto, só faça a oferta quando de fato estiver pronto para efetuar a compra. Para mais informações, acesse o site: https://www.melhorcambio.com/

VEJA TAMBÉM: 10 países que a moeda local vale menos que o real

FAZENDO AS MALAS

Comecei a arrumar minhas malas com menos de uma semana de antecedência, mas já com tudo em mente. rs Sempre faço um checklist para conferir se não estou esquecendo de nada, e aproveito pra ir anotando algumas observações, principalmente sobre coisas que preciso colocar na mala somente no dia da viagem, por exemplo.

Para essa viagem, levei peças de roupas diversas (até porque ia para cidades bem diferentes em questão de clima). Levei roupas bem fresquinhas para usar em Cartagena, roupas mais básicas como calças jeans e blusas lisas, blusas mais quentinhas… E devo dizer que não foi suficiente, tá? Não esperava que fizesse tão frio em Bogotá, e não levei nenhum casaco muito grosso. Ainda bem que foi fácil comprar por lá!

Alguns itens importantes e fáceis de esquecer são: adaptador de tomada (afinal, essas tomadas de três pinos são invenção brasileira rs é bom já sair daqui com um adaptador para o seu país de destino, mas eu não encontrei e acabei comprando no Panamá), guarda-chuva (adivinhem quem acabou esquecendo??), pau de selfie (sim, é permitido!), remédios para emergências, repelente, sacos plásticos para roupa suja… Vou compartilhar com vocês a minha checklist completa!

 

Por fim, minha organização foi a seguinte: uma mala grande com as roupas (ela ficou bem vazia porque eram poucos dias de viagem, mas eu não tinha uma média rs), uma mochila com coisas para ter em mãos (objetos de mais valor e mais frágeis) e pelo menos uma muda de roupa, caso acontecesse da minha mala ser extraviada, e uma bolsinha pequena, para carregar sempre comigo com o básico: documentos, celular, carregador, caneta, um cachecol caso sentisse frio… Aproveitei para ter tudo ao meu alcance durante o voo, já que a mochila ficaria no bagageiro.

VEJA TAMBÉM: Mala ou mochila – qual a melhor opção?

 

ROTEIRO, MEIOS DE TRANSPORTE E TEMPO

Se tem uma coisa que você tem que ter bem planejado quando for para a Colômbia é seu roteiro. E quantos dias terá em cada cidade, o que irá fazer… para que você não passe por perrengues. Você poderá economizar muito por exemplo se for para os museus no domingo pois são de graça. Ou fazer determinados trajetos de bicicleta pois acaba saindo mais barato do que se locomover de taxi ou uber na cidade. Tenha tudo bem planejado e sempre com uma boa margem de erro para que caso alguma coisa saia do controle, você consiga se reorganizar facilmente (adiantamento de vôos sem aviso prévio, atraso de vôos, cancelamento de vôos, atraso nos ônibus, acidente na estrada… entre outros perrengues que eu, Luiza, passei na minha viagem à Colômbia e que irei fazer um post inteiro sobre isso em breve. Mas tenha em mente, planeje-se muito bem para otimizar o seu tempo e aproveitar muito mais da sua viagem. Então pesquise muito sobre a cidade que quer visitar e como gastar pouco por lá.

 

Esperamos que nosso planejamento te ajude muito na sua aventura pela Colômbia, e teremos MUITO, mas é MUITO post sobre a Colômbia em breve, aguardem! Se tiveram dúvidas, comentem aqui embaixo que iremos te ajudar!

 

VEJA TAMBÉM: Relato de viagem: roteiro de 5 dias em San Andrés (com gastos!)

Comentários

Comentários

Mulheres tão particulares, com um único objetivo em comum, viver as melhores (e maiores) aventuras já vistas. Juntas ou sozinhas, nós queremos é viver! E compartilhar nossas experiências para que possamos inspirar cada vez mais, outras mulheres.



O que achou desse post?


%d blogueiros gostam disto: