Aldeia Velha As Minas pelo Mundo Brasil Na Estrada com as Minas Rio de Janeiro

Festival de Forró de Aldeia Velha – Um Combo de Primeira Vez

Dizem que tenho síndrome de filha única, apesar de ter três irmãos, somente um cresceu comigo e ele é 8 anos mais novo, sempre fui meio sozinha e independente. Apesar disso, admito que ainda tenho alguns bloqueios, tenho muita dificuldade de sair pra lazer sozinha. Cinema, teatro, barzinho, conto nos dedos as vezes que meti a cara e saí, sem amigo pra me acompanhar… Pra piorar, dos meus quase 31 anos (com carinha de 25, no máximo, hahahahaha), passei nove namorando, a maior parte da minha vida adulta. Aí você chega aos 30 e bate aquela noia, caraca, agora sou adulta de verdade, balzaquiana, e tem um monte de coisas que não fiz. E foi assim que cheguei aos trinta anos sem nunca ter acampado nem viajado sozinha, mas decidida a mudar.

Aldeia Velha é um vilarejo no município de Silva Jardim, interior do Rio de Janeiro , próximo a Casimiro de Abreu e Rio Bonito. A região é montanhosa, cercada de verde, rios e cachoeiras. O vilarejo é composto de poucas ruas, com cara de cidade pequena de filme, onde encontra-se o comércio local, como restaurantes, mercadinho e padaria. Tudo bem simples, se você é do tipo que gosta de turismo gourmet, não sei se Aldeia Velha é o lugar pra você. Apesar do clima bucólico, o lugar se agita algumas vezes por ano, com diversos festivais que ocorrem por lá. E foi assim que fiquei sabendo de Aldeia, sempre algum amigo confirmava algum evento no Facebook e eu marcava interesse. Ficava sempre olhando as fotos, as descrições dos eventos, imaginando que devia ser bom passar alguns dias no meio do mato, acampando na beira do rio, com uma galera good vibes… Mas sempre ficava só na vontade, ninguém próximo animava de ir e eu desistia…

Rio que passa pelo camping

Mas esse ano não, coloquei na cabeça que iria quando vi o evento do 8° Festival de Forró de Aldeia Velha. Combinei com uma amiga, que já havia ido e me disse que era maravilhoso. Mas minha amiga estava namorando e desempregada, ia se aproximando a data e foi ficando difícil pra ela ir, mas eu estava decidida, iria mesmo que fosse sozinha! Foi quando resolvi entrar em contato com a organização do evento, contar meus planos de ir e dividir a experiência com vocês por aqui. O Josemar, um dos organizadores do festival, foi super receptivo com a ideia e nos convidou a ir. Estava decidido, eu iria ao festival! Primeiro camping, primeira viagem para festival de música, primeira viagem sozinha e primeira vez em Aldeia Velha, tudo de uma vez! Dia 31.05.18 eu ia botar o pé na estrada!

O Festival

O festival é uma mega estrutura, foram 5 dias de forró 24h por dia. Foram 28 bandas e 10 DJ´s se revezando no palco e a galera não parava de dançar, sério, eu não acreditava! Tinha bandas e pessoas do Brasil inteiro, eu não sou forrozeira, não tinha ideia que a galera do Forró era uma tribo tão grande, que viaja pelo Brasil num circuito de festivais de norte ao sul do país. E bota animação nessa galera, contagiante o clima.

Estrutura e Acomodações

O evento acontece atualmente no Recanto d’Aldeia Camping, um espaço de eventos e camping. O espaço conta com banheiros, bar, restaurante (que durante o festival servia churrasco 24 horas por dia! Imagina isso, aquele cheirinho de churrasco às 2 da manhã, ninguém resistia) e áreas de camping, com o espaço principal de camping na beira do rio. Esse espaço fica um pouco afastado do centro de Aldeia Velha, próximo às cachoeiras. Gente, uma coisa que me estressa é comida e como nunca tinha ido, essa era uma preocupação, muitos lugares turísticos praticam preços abusivos. Pra me garantir, levei uns lanchinhos mas ainda estava preocupada, não sou lá muito de comer biscoitos e afins. E esse pra mim foi um ponto positivo do evento, tinha cozinha e comida 24 horas por dia, com um preço bastante em conta, mais barato que os restaurantes cobram aqui no meu amado Hell de Janeiro. O mesmo pro bar, as bebidas com preços super realistas. Além disso, o camping conta com cozinha, pra galera que quisesse cozinhar. Vale ressaltar que o camping é bem estruturado mas rústico, não espere uma cozinha da Ana Maria Braga com cooktop, a cozinha é um espaço de bambu, com uma pia e um fogão de 4 bocas meio velhinho, mas salva bastante. Não levei nada para cozinhar, mas ia à cozinha carregar o celular e olha, era um dos meus lugares favoritos! A galera se reunia lá pra tomar café e acabava sendo um dos lugares de interação, de fazer amizades. Inclusive foi lá que conheci um grupo de amigos de SP que me adotou durante o festival! O camping também conta com um número razoável de banheiros, mas eles ficam ao lado da área do palco, dependendo de onde você monte sua barraca, fica meio distante. Pra fazer número 1 e 2 havia, além dos banheiros fixos, caminhões banheiros. A mesma máxima da cozinha vale para os banheiros, a estrutura supre as necessidades mas sem luxos. Há uma quantidade boa de cabines com chuveiro, mas poucos com água quente, nos horários de pico, principalmente no banheiro feminino, se forma uma fila imensa pro banho. Ouvi relatos de mais de 1 hora na fila pro banho, a maioria espera vagar os chuveiros quentes. A dica é: programação, tomar banho cedo e abstrair da água quente, afinal você estará no meio do mato. Falando nisso, mato tem mosquito, muito mosquito, repelente e protetor solar são itens indispensáveis na bagagem. Outra dica é levar dinheiro e não cartão, o sinal de celular é péssimo, a única operadora que funciona é a Tim, ainda assim, em época de cidade cheia a rede fica bastante instável, melhor se garantir. Ah, se possível, chegue cedo pra pegar um bom lugar para montar sua barraca, eu me arrependi de não ter colocado a minha na beira do rio… Para quem quer um pouco mais de conforto ou não curte a vibe camping, existem sempre casas pra alugar pelo vilarejo e pousadas, pode ser uma boa, só lembre-se de pensar a logística de ir e voltar pois você não estará tão perto do evento quanto quem acampa no espaço festival.

Lazer

Além do próprio festival, o camping é na beira do rio, os dias estavam ensolarados e mergulhar nas águas geladas era revigorante. A correnteza não é forte e tem diversas áreas um pouco mais fundas, ótimas para se banhar. Durante todo o dia a galera se reunia para bater papo na beira do rio, fazer churrasco (tinha uma galera mega equipada) e tirar um som. Em alguns espaços sobrava um espacinho na grama, ótimo pra estender a canga e pegar um sol ou tirar um cochilo.

Subindo um pouco pela estrada, bem pouco mesmo, odeio caminhar e foi super de boa, você chega à cachoeira das Andorinhas. Tem uma porteira na entrada e é cobrado 10 reais para acessar as quedas. São quatro quedas, que você sobe por uma trilha de fácil acesso, tem até guarda vidas monitorando a galera. Na subida para as cachoeiras, tem um restaurante, onde você pode comer uma comidinha a quilo, com aquele temperinho de roça, ou tomar uma bebida. Mais acima na estrada existem outras quedas mas não cheguei a ir, me informaram que necessitava de guia, caso queiram conhecer, informem-se por lá.

Como chegar

A entrada de Aldeia Velha fica na BR 101, também conhecida aqui no Rio por Niterói Manilha ou Rodovia Rio-Vitória (dependendo do trecho). A estrada tem uma boa conservação, pra quem vai de carro, há uma placa indicando a entrada da localidade (do lado esquerdo de quem vem do Rio). A partir desse ponto, a estrada é de terra mas estava em ótima conservação quando fui. Muitas pessoas que vão de ônibus costumam descer nesse ponto para pegar carona até o centro. Mas eu não tenho carro nem dirijo, admito que fiquei meio preocupada sobre como chegar. Pesquisei e descobri que a melhor forma de chegar de ônibus é indo até Casimiro de Abreu, de lá é possível pegar um ônibus até o centro de Aldeia. Não é uma linha que tenha muitos horários, prestem atenção a isso quando forem planejar a ida. Ir de ônibus era meu plano inicial mas resolvi postar no Facebook que iria ao festival, pra ver se no mundarel de amigos virtuais, mais alguém ia. E não foi que uma mana que conheço disse que estava indo com o namorado, me passou um contato de uma excursão. Essa é uma forma boa de ir também, muitos grupos fazem excursões ao festival, saindo do Rio e de outros estados, com pacotes incluindo o ingresso, acomodação e transporte. Entrei em contato com os organizadores dessa excursão e nos ofereceram uma parceria, eu poderia ir com ele, cobrindo a viagem. Infelizmente, a menos de uma semana da viagem, o organizador da excursão me informou que não me levaria mais! Bateu aquele desespero, a uma semana você já tem os gastos planejados, quase desisti, achei uma tremenda falta de consideração desfazer uma parceria que eles mesmo que propuseram (quando procurei a excursão era pra saber os preços da viagem, nem pensei em parceria). Enfim, nem todo mundo é do bem ou entende como funciona uma parceria, mas vida que segue, ia dar meu jeito de ir. Pra piorar, começou a greve dos caminhoneiros, a incerteza de se haveria o festival, se haveria ônibus, gasolina. Comecei a procurar sobre horários de ônibus, blablacar. Achei algumas carona pelo aplicativo mas quando informava que estaria com uma quantidade razoável de bagagem para acampar, as pessoas falavam que não dava. Me voltei também para o evento no facebook, várias pessoas postam caronas lá, em geral cobram algum valor pra ajudar nos custos de combustível e pedágio. Acabei conseguindo uma mana que ia sair do Rio e disse que poderia me buscar em casa, resolvi ir com ela, mais fácil que de ônibus ou carona pelo aplicativo, pois não precisaria fazer baldeação em Cassimiro. Fui com essa e voltei, foi super de boa. Além de mim, haviam mais duas manas na carona, já fiz amizade no carro. Foi ótimo, uma das manas já me chamou pra montar a barraca perto dela, um amigo dela que já estava lá quando chegamos, nos ajudou nesse processo (nunca havia montado uma barraca na vida!). No fim, deu tudo certo, não tenham medo, dá pra chegar de boa mesmo sem ter carro.




Mais informações

E aí, ficaram com vontade de conhecer Aldeia Velha e o festival de forró? O 9° festival de Forró de de Aldeia Velha vai ser em 20, 21, 22 e 23 de junho de 2019, feriado de Corpus Christi. Pra quem tá ansioso e não quer esperar 1 ano para conhecer esse paraíso, tá sempre tendo eventos na localidade. O próximo é de 6 a 9 de Setembro, no feriado da independência, e será o 1° festival de cerveja Artesanal de Aldeia velha. A entrada será 0800 e tem uma promoção do camping para os três dias a 50 reais. Tô sabendo também que vai rolar um evento de forró no Ano Novo.

Quem quiser mais informações, só falar com o Josemar pelo facebook ou whatsapp (22 98124-7849), ou seguir o Festival de Forró de Aldeia Velha no facebook e instagram, que ficarão por dentro dos melhores eventos que rolam por lá.

Depois me contem tudo o que acharam de lá quando forem, combinado? Eu já tô juntando o dinheirinho para voltar para esse paraíso.

Comentários

Comentários

«

»

O que achou desse post?