Campus Party – o maior evento de tecnologia do Brasil

Campus Party – o maior evento de tecnologia do Brasil

Quando o gestor do curso que estou fazendo de empreendedorismo perguntou para os alunos: “Quem pode e tem interesse de ir à Campus Party tais dias?” eu enlouqueci. Sempre tive um grande desejo de conhecer a feira por vários motivos. Eu sempre ficava imaginando o quão legal seria acampar 6 dias dentro de um Centro de Convenções e trocar com as mais diversas pessoas, mas achava que era uma realidade muito distante, confesso que nunca imaginei que de fato eu conseguiria ir e eu consegui, graças à Universidade da Correria eu “tickei” mais um item da minha lista de desejos e mesmo que eu só tenha podido ir no penúltimo dia de feira foi uma experiência enriquecedora, eu não poderia deixar de ir.

A Campus Party é o principal evento tecnológico realizado anualmente no Brasil. O evento que tem duração de 6 dias engloba os mais diversos temas relacionados à internet, reunindo um grande número de comunidades e usuários da rede mundial de computadores envolvidos com tecnologia e cultura digital. As edições realizadas na cidade de São Paulo ocorrem desde 2008, e em Recife, de 2012 a 2015. Na edição de 2016, em São Paulo, eles anunciaram grandes mudanças nas próximas edições, que agora serão realizadas também em Brasília, Belo Horizonte, além da edição de Recife. A Campus Party surgiu na Espanha, em 1997, posteriormente se estendendo a outros países como: Brasil, Colômbia e México. Hoje é considerado um dos maiores eventos de inovação, ciência, criatividade e entretenimento digital de todo o mundo.

Como eu trabalharia a semana toda, me programei para ir final de semana, eu já sabia que chegaria tarde e que pegaria o finalzinho da feira, por isso, precisaria aproveitar ao máximo. Se eu não tivesse tido tanto perrengue na locomoção, eu teria conseguido aproveitar mais, mas reclamações à parte, a minha participação na feira foi muito importante.

Área Open

Como eu cheguei ao finalzinho do dia, o credenciamento foi muito rápido, meu código já estava ativo então era só pegar a credencial e entrar. Logo de início, encontrávamos a Área Open onde estavam reunidas as Startups e apesar de não ter conseguido interagir com todas eu conheci duas Startups em particular que surpreendentemente tinham muita sinergia com o Na Estrada – energias que se conectam, coisa linda e incrível demais!

APLICATIVO 3 MARIAS

Primeiro eu conversei um pouco com a Thais Kuga, co-fundadora do Aplicativo 3 Marias (Maria vai com as outras) que abre o um importante debate sobre mobilidade e segurança feminina. Eu fiquei encantada e até convidei a Thais para participar do Encontro Nacional de Mulheres Viajantes que realizaremos em Março, 2018.

Para saber mais sobre o 3 Marias, clique aqui.

APLICATIVO NUMENU

Depois eu conheci os meninos do NuMenu, um serviço de bordo urbano muito interessante que integra conforto e praticidade, para os esquecidos de plantão, NuMenu é uma importante ferramenta para os viajantes não passarem mais aperto ao lembrarem a caminho do aeroporto ou da rodoviária que esqueceram o cabo do celular ou ao perceberem que estão com fome. Sem contar que o motorista ainda faz uma grana extra ao receber 50% dos lucros. NuMenu está em fase de teste na cidade de São Paulo e já possui 10 carros na rua.

Para saber mais sobre o NuMenu, clique aqui.

Depois de conhecer as Startups e comer – estava morrendo de fome e na área open só tinham foodtrucks, como eu estava azul de fome fui à opção que oferecia o melhor custo x benefício e paguei a bagatela de R$ 28 em um lanche completo (hambúrguer, batata frita e refrigerante), depois que entrei na área para credenciados me arrependi. Lá dentro tinham outras opções mais em conta, como o Spoleto, a Dominós e os micro-ondas espalhados por toda área, mas se bem que se eu tivesse comido o couple nudes que eles deram na entrada eu não teria jantado e gastaria de qualquer forma.

Como o lugar era muito grande, tive certa dificuldade de encontrar a primeira palestra que eu queria assistir “Quando você encontra desafios do tamanho do seu sonho”, realizada pelo Grupo O Boticário e ministrada por Nicolas Simone, Diretor de TI e Paulo Roseiro, Diretor de P&D. Essa palestra foi surpreendente. Nicolas e Paulo tinham muita propriedade ao falar e falaram muito sobre inovação, a importância da experiência do consumidor, a diferença que faz cada marca ter sua própria central de marketing, apesar do centro de tecnologia ser o mesmo. E sobre como a falha precisa ser natural para o empreendedor, tem que estar enraizado em nós, para que ela não nos derrube quando vier, por que ela virá. E é interessante perceber que uma das formas que eles encontraram para combater o conservadorismo foi priorizar o dialogo acima de tudo, pois para Paulo o conservadorismo está intimamente ligado à cultura da empresa e se o conselho não estiver aberto a conversar, ouvir será bem difícil mudar, então tem muito a ver com a cultura organizacional da empresa. E o diferencial do Grupo O Boticário é que eles integraram o time de pesquisa com o time de desenvolvedores, assim os dois setores pensam juntos como um só. Eu fiquei bem entusiasmada com essa palestra, ainda mais por perceber que o Grupo O Boticário tem uma preocupação ambiental muito latente. Eles têm consciência do impacto que causam na sociedade e estão em busca de melhorias em suas embalagens e para quem assim como eu não sabia, eles recebem as embalagens de volta – o que é uma maneira muito inteligente de descarte, caso você não use mais.

Ainda me recuperando dessa palestra arrasadora eu fui correndo para a próxima e para a minha surpresa “O Negócio por trás das Startups” trazia um investidor que sou muito fã. João Kepler. Assisti o João falar pela primeira vez em um evento de empreendedores realizado aqui no Rio de Janeiro , naquele dia eu já tinha ficado impressionada com a desenvoltura dele e dessa vez não foi diferente. João é uma pessoa extremamente inteligente e que tem conselhos importantíssimos para os pequenos e novos empreendedores. Ele falou muito sobre a importância de pensar além do óbvio e que percebeu que grande empreendedores que ele admirava tinham algo em comum, e ficou se perguntando o quê era, ao fazer se aprofundar na vida desses caras ele percebeu o que eles tinham em comum: eles tinham uma causa, algo em que acreditar, algo por que lutar. Eles tinham atitude, eles não esperavam as coisas acontecerem, iam lá e faziam. Eles tinham um propósito. E eles tinham um comportamento diferenciado. O que não os deixava ter medo do fracasso. Perceber tudo isso transformou o João de tal forma que só depois de receber tantos “nãos” e após a sua mudança de mindset que ele recebeu o primeiro “sim” e hoje é um dos grandes investidores brasileiros.

O interessante desses lugares é poder trocar com pessoas que provavelmente você não conheceria se tivesse ficado em sua zona de conforto.

PLATAFORMA GROWSOCIAL

Assistindo a palestra do João, conheci também o Douglas, fundador do Growsocial a primeira Startup brasileira desenvolvida para interação automática – mas real – no Instagram. Apesar de ser polêmico, esse tipo de ferramenta é muito comum e usado lá fora por hard users ou publicitários e o Douglas percebeu a oportunidade de trazer essa ferramenta para cá, em março de 2016. Hoje o maior desafio deles é lidar com os bloqueios do Instagram que mudam constantemente seu algoritmo. Hoje o Growsocial conta com uma equipe de 10 pessoas e possui base em Campo Grande – MS. E apesar de surgirem no mercado ferramentas com o mesmo propósito como o Bume e o Gerenciagram, o Douglas acredita que tem mercado para todo mundo e que o Instagram elimina toda a concorrência.

Eles oferecem um período gratuito para testes, para saber mais clique aqui.

Por conta de uma falha no site da Campus Party eu acabei não assistindo a última palestra para qual eu tinha me programado “Como vender ideias”. No site estava que seria realizada às 19 horas, mas ela estava aconteceu simultaneamente com a palestra das Startups, consegui pegar só o finalzinho das perguntas, mas não tem problema por que dá para assistir tudo pelo Youtube.

EF- EDUCATION FIRST

No final do dia eu estava só o pó, por causa da viagem, da correria, dos perrengues, mas ainda sobrou tempo para passar no Stand da EF – Education First. Estava rolando um “Just Dance” muito maneiro lá com a equipe e mais algumas pessoas e ainda rolaria o sorteio de um Intercâmbio de duas semanas, incrível né? A EF oferece cursos de Idiomas no Exterior para vários níveis. Eu trouxe para casa um prospect falando sobre o curso para adolescentes e universitários, pois me interessa muito e depois quero conhecer melhor para indicar para vocês.

Para saber mais sobre os cursos, clique aqui.

Essa foi com certeza uma experiência que eu levarei para a minha vida toda.

Essa edição reuniu mais de 12 mil campuseiros, 870 palestrantes, 900 horas de conteúdo e 40 GB de alta velocidade.

A próximo edição será em Natal, entre os dias 11 a 15 de abril – meu aniversário *-* – no Centro de Convenções de Natal.

Até lá!

E vocês? Já foram em alguma edição da Campus Party? Conta pra gente como foi essa experiência para você aqui nos comentários.

Comentários

Comentários

Cami Santos, mãe da Clara, carioca com alma de cigana, ariana dos pés a cabeça, 22 anos. Estudante de Jornalismo, feminista negra interseccional, escritora e apaixonada por moda, viagens, fotografia e música.



O que achou desse post?


%d blogueiros gostam disto: