Autoconhecimento: Aprenda como Conhecer a Si Mesmo – por Talita Costa

Autoconhecimento: Aprenda como Conhecer a Si Mesmo – por Talita Costa

Olá mulheres que acompanham o Na Estrada Com As Minas!

Eu sou Talita Costa, e vou colaborar escrevendo sobre mulheres e o feminino, em assuntos relacionados a autoconhecimento, bem estar, espiritualidade e conexão com o sagrado.

E pra inaugurar esse espaço, quero propor uma reflexão: você se conhece?

Todas temos, em alguma dimensão, vidas corridas. A vida nos cobra, a sociedade nos pressiona, cumprimos papéis sociais, seguimos regras, normas e éticas, e sem entrar no mérito do que é ou não necessário, eu gostaria que você pensasse no quanto você se observa no meio desse turbilhão.
É fato que vivemos, com a evolução das sociedades, um afastamento cada vez maior de nós mesmas. A carga de trabalho excessiva, o esgotamento do corpo físico, a guerra e a separação entre eu e o inimigo, a necessidade inventada de consumo e status que o ter começava a dar, o controle mental através da corrida pelo sucesso, a carreira promissora, o corpo ideal, a comida da moda. E no meio disso tudo, quem é você? Quais são seus desejos reais, e não aqueles que você aprendeu que deveria ter?
Você já ouviu que no o olho do furacão é onde está a calmaria? Enquanto tudo a volta está enlouquecendo, no centro permanece a paz. E essa analogia cabe muito bem aqui, pq a única chance que temos de viver com saúde nessa correria louca é se nos alinharmos com nosso centro.
Nunca nos ensinaram a buscar nosso eu interior, a manter esse alinhamento, e por isso vivemos nos identificando com tudo à nossa volta, somos carentes de pertencimento, de envolvimento, queremos sempre a atenção do outro, o cuidado com o outro, criamos expectativas demais sobre o outro… Buscamos nos nutrir com o que vem de fora, e nunca saciamos a fome que vem de dentro. Vivemos como se o mundo estivesse contra nós, como se o tempo estivesse contra nós, numa longa e exaustiva guerra de um contra tudo, por que aprendemos a competir a qualquer custo, aprendemos que qualquer um pode tirar o que nós temos, seja sua posição de melhor aluno, seu cargo de chefe ou o amor dos seus pais, a atenção do seu namorado… e assim vivemos armados, nos defendendo o tempo todo, sempre cansados, sempre doentes, sempre sem tempo, sempre no limite.

Onde está quem nós somos, se só nos preocupamos com quem devemos ser?

Não precisa ser assim.
Esse é o jeito que a gente aprendeu, com as estratégias que nossa mente criou pra viver no meio da adversidade, mas existem outras maneiras.
Pra descobrir o seu jeito, a primeira atitude é se voltar pro centro. Quando a gente se observa sem a lente dos defeitos sociais, só com amorosidade e interesse de descobrir quem nós somos, conseguimos enxergar nossa essência.
Muita coisa que já conhecemos em nós, se mostra de forma distorcida ou desequilibrada, por que não damos espaço pro nosso ser. E a melhor maneira – porém não a única – de se conectar é através da meditação.
Eu sei, meditação parece coisa de gente que tem tempo, ou que tem grana, parece coisa de quem tira o final de semana pra estar no meio mato, que tem uma salinha zen em casa só pra isso… mas não! Acredita em mim! Eu sou uma mulher periférica, que até pouco tempo passava 14 horas fora de casa e conseguia meditar. A meditação não é exatamente o que nos vendem por ai…
Num próximo post eu vou falar mais sobre meditação, mas agora, sugiro que você aproveite pequenos espacinhos da sua rotina pra começar a mudar sua realidade. Pode ser na hora do café! Ao invés de conversar no próximo cafézinho, põe uma música suave que você goste, coloca fones de ouvido, fecha os olhos e saboreia o momento. O sabor do café, o aroma, o quentinho tomando seu corpo, se concentra nisso e se vierem pensamentos de horário, produtividade, contas… respira fundo e volta pro café! Pode ser no intervalo pra água, que tal sair de casa com umas rodelas de limão e umas folhinhas de hortelã numa garrafinha com água? Melhora essa experiência! Pode ser no banho! Apaga a luz, acende uma vela, coloca uma música e faz do seu banho uma vivência de cuidado. 5 minutinhos que seja. Eu garanto que vai fazer diferença.
Grandes caminhos começam com o primeiro passo.
Vamos juntas?

Comentários

Comentários

Mulheres tão particulares, com um único objetivo em comum, viver as melhores (e maiores) aventuras já vistas. Juntas ou sozinhas, nós queremos é viver! E compartilhar nossas experiências para que possamos inspirar cada vez mais, outras mulheres.



O que achou desse post?


%d blogueiros gostam disto: