Ah, Noronha… – por Jennypher Oliveira

Ah, Noronha… – por Jennypher Oliveira

Oiii, vou começar me apresentando: meu nome é Jennypher (sim, se escreve desse jeitinho mesmo, minha mãe foi bem criativa sabe… rs). Moro em Recife/PE, sou sagitariana, amo viajar e fotografar, prezo muuuito a minha liberdade, gosto de gente e de solidão… Viciada em viagens, séries, chocolate, livros, Netflix, frevo e folia! Apaixonada pelo sol, mas meio de lua… Mundivagante de pensamento e cosmopolita de coração.

Ok, ok. Voltando ao título, sabe aquele ano em que você realiza grandes sonhos? Esse ano para mim foi 2013! Nesse maravilhoso ano revisitei lugares que amo (São Paulo e Rio de Janeiro ) e conheci dois lugares INCRÍVEIS: a Chapada da Diamantina, na Bahia, e Fernando de Noronha, arquipélago de Pernambuco.

Escolhi falar um pouco mais pra vocês sobre a viagem a Noronha porque essa foi numa data especial, em Dezembro, mês do meu aniversário que passei por lá ~ fina e rica! #sqn ~. Fomos eu, minha vó Vivi (representando a família) e uma amiga, Bruna (representando os amigos). Passamos 04 dias na ilha, tempo suficiente para conhecer “tudo”, maaas se fosse hoje passaria ao menos 07 dias porque assim teria mais tempo ocioso, curtiria com mais calma as praias e veria o pôr do sol em todos os cantinhos daquele lugar mágico!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O arquipélago é lindo e beeem pequeno, só para você ter uma noção a BR de lá tem apenas 7km! Para conhecê-lo você pode alugar um buggy para se locomover mais rapidamente, caso queira, mas dá pra você fazer tudo a pé e curti cada momento. Não sei se tem lugar para alugar bike, mas seria uma opção mais interessante porque você otimiza seu tempo e curte de uma maneira relax e não poluente.

No dia em que chegamos passeamos a tarde pelo arquipélago, conhecendo e admirando as paisagens e à noite eu e minha amiga (minha vó disse que estava cansada e ficou assistindo a novela! #viciada) fomos visitar o projeto TAMAR que todas as noites apresentam um vídeo e explicam sobre a vida marinha, no dia assistimos ao vídeo sobre as tartarugas marinhas. Acabamos nos empolgando e perdemos o ônibus para voltar e o próximo só passaria depois de 40min. Ou seja, estava tudo escuro (só a iluminação dos postes) e nós duas lá querendo chegar logo na pousada para descansar, daí perguntamos se teria perigo irmos andando e nos informaram que não.

Seguimos pela beira da estrada andando, conversando, cantando, tirando fotos ~ duas loca, loca, locas em Noronha! Hahaha ~ … Quando já estávamos chegando à Praça Flamboyant passou um buggy e nos ofereceu carona, só que estávamos tão pertinho da pousada que recusamos e continuamos andando. Chegamos à pousada cansadas e felizes, aí foi banho e cama! Ao amanhecer nos deparamos com uma vista linda do nosso quarto (foto abaixo) e seguimos para o café da manhã porque o dia prometia ser looongo.

Fomos fazer o passeio “Ilha Tour”, aconselho a todos esse passeio que dura o dia todo porque apesar de bem basicão, ele dá uma volta pelos principais atrativos de Noronha com um guia te explicando tudinho sobre cada cantinho. Você irá passar por lugares maravilhosos, e se encantar com suas belezas. Seguem algumas fotos tiradas nesse dia:

Chegamos exaustas nesse dia que terminou com um lindo pôr do sol no Forte de São Pedro do Boldró, preparem a câmera ou apenas contemplem toda a paz que aquele momento transmite. Aplauda e se despeça do sol, porque no outro dia tem mais…

No dia seguinte fomos fazer um tour pelo centro histórico de Noronha – Vila dos Remédios –, andamos pela praça central onde há uma agência do Banco Santader, uma igrejinha ~ tem culto todos os domingos lá ~, um museu, lojinha de artesanato, uns canhões, algumas casinhas e suas ruelas tortas ~ gentxi, é um sobe e desce sem fim nas ruelas de paralelepípedos soltos, mas vale a pena porque a paisagem compensa ~, além de que é bem pertinho do Bar do Cachorro né? Ah, saudades dos bons drinks à noite a base de forró, reggae, pagode (dependendo do dia da semana) desse bar. Os preços são um tantin salgados, mas sabe como é sabe lá Deus quando eu volto…

A tarde fizemos o passeio de barco ~ apenas sem palavras para todos os encantos desse arquipélago ~, tem vários tipos, mas como estava com minha vó e a grana não estava assim tããão exuberante, fizemos o passeio de barco “comum” passando pelas praias do Mar de Dentro e do Mar de Fora. Ah, acho que esqueci de comentar, mas em Noronha existem as praias do chamado Mar de Dentro, são elas:

  • Baía e Porto de Santo Antônio – de onde saem os passeios de barco;
  • Praia da Biboca;
  • Praia do Cachorro – fácil de chegar, mar bem agitado;
  • Praia do Meio – rende fotos incríveis! Hahaha;
  • Praia da Conceição – ma-ra-vi-lho-sa;
  • Praia do Boldró – tem um do pôr do sol inesquecível;
  • Praia do Americano;
  • Praia do Bode;
  • Praia da Quixabinha – bem deserta, ótima para meditar e curte Noronha “alone” ou bem acompanhada;
  • Praia da Cacimba do Padre – área de surfistas, ou seja, quero montar minha barraca de camping lá, pode?;
  • Baía dos Porcos – leve seu snorkel, você vai precisar #ficadica;
  • Baía do Sancho – apenas foi eleita TRÊS vezes a praia mais bonita do mundo;
  • Baía dos Golfinhos – preparem as câmeras porque eles são amostrados viu? Amei;
  • Ponta da Sapata.

E as praias do Mar de Fora:

  • Praia do Leão – se quiser nadar com tubarões aqui é o lugar, nunca vi tantos juntos;
  • Ponta das Caracas;
  • Baía Sueste – lugar incrível para mergulho, vale muito a pena o passeio. A vida marinha é extasiante!;
  • Praia de Atalaia – se você gosta de trilha é im-per-dí-vel, leve snorkel e faça reserva tem limite de visitação;
  • Enseada da Caeira;
  • Buraco da Raquel – ah, Raquel… Hahaha. Bem pertinho está o Museu dos Tubarões, muito interessante com arcadas de tubarões das mais diversas espécies e tamanhos, e as peças de bronze para fotos;
  • Ponta da Air France.

Adicionei uns comentários nas que visitei e posso garantir que são tooodas imperdíveis, mas ~ infelizmente ~ não pude ver todas ~ por isso e muito mais preciso voltar lá, né nom? #Meta2018 ~. A seguir tem mais duas fotos para me despedir de vocês e deixar um gostinho de quero mais, e já pensando em voltar a escrever pr’ocês! Após as fotos, tem uma listinha de dicas super-mega-ultra-blaster ~ exagerada, Hahaha ~ úteis para sua ida a Noronha!

10 dicas pra ir e aproveitar Fernando de Noronha gastando o mínimo possível! Vamos à lista:

  1. Pague a taxa de preservação ambiental antes de embarcar, assim você agiliza seu desembarque e não enfrenta fila no aeroporto de Noronha;
  2. Ao chegar se informe onde comprar o cartão-ingresso do “Parque Nacional Marinho”, ele é válido por 10 dias e custa cerca de R$ 90,00 para brasileiros e R$ 150,00 para estrangeiros. Se for passar mais dias, lá você irá receber mais informações sobre valores;
  3. Leve aquele velho lanchinho (tipo: pão de caixa, bolacha ~ do tipo água e sal ~ biscoito, barrinhas de cereal, salgadinho, cereais, chocolate, suco de caixinha, achocolatado, refri, dentre outros alimentos e bebidas, vai do gosto de casa um..) de casa mesmo, na bagagem. Porque você irá consumir e economizará muuuito;
  4. Compre água de 1,5 ou 5L ou mesmo 10L (depende de seu consumo) no supermercado local e apenas reabasteça sua garrafinha antes dos passeios, tour, ou caminhada por Noronha. Vai por mim, o sol é maravilhoso, mas castiga né? E você precisa se hidratar;
  5. Compre recheio (queijo, presunto, peito de peru, patê,…) no supermercado local e faça sanduíches para lanchar durante os passeios e/ou para comer à noite, assim você economiza em uma das refeições.                       PS: Assim, você também pode levar isso de casa, maaas alimentos que precisam de refrigeração são bem complicados para levar, pode estragar e você não quer uma dorzinha de barriga em Noronha né?;
  6. Existem lugares que vendem almoço ~ tipo PF *prato feito*~ para os moradores locais e o valor é bem mais em conta que nos restaurantes, mesmo os mais simples. Procure informações e almoce/peça por lá;
  7. Leve sempre uma sacolinha plástica e jogue o seu lixo durante seus passeios dentro dela (e também o de outros viajantes ~ porcalhudos, porcalhões ~ que você encontre) e descarte em local adequado. Nós podemos sim fazer a diferença! Lugar de lixo é no LIXO e não nas praias, trilhas ou nas ruas;
  8. Protetor solar é muito importante, mas existem praias que você não pode usar se for entrar no mar. O mesmo vale para creme de pentear, hidratante, entre outros. Seja consciente, a vida marinha agradece;
  9. Ficar de olho nas passagens aéreas promocionais com saída de Recife e Natal que são as duas capitais com voo direto e sempre há promoções, umas melhores que outras;
  10. Na maioria das vezes, acaba sendo mais barato ir por agência de turismo porque as diárias, mesmo em hostel ou nas pousadas domiciliares, são beeem caras e as agências compram com desconto.

Noronha não é absurdamente cara como muitos dizem, até porque se levarmos em consideração que tudo que chega lá vem de Recife ou Natal, é lógico que os preços são mais salgados. Até o lixo é descartado através de embarcações porque lá não há aterros. Acho destinos como Rio de Janeiro e Gramado bem mais caros se comparadas algumas dificuldades, como as citadas acima. Noronha é um destino lindo e super válido!

*** se quiser tirar dúvidas ou dica de agências de turismo, é só me contatar por inbox no instagram ok? 😉

 

por Jennypher Oliveira

Redes sociais para acompanhar as aventuras da Jennypher:

Instagram –> @ nemloucanemsanta (pessoal) / @ eujennypher (fotos de viagens, a atualizar)

Facebook –> www.facebook.com/jennypher.oliveira

Twitter –> @nemloucanemsant

Comentários

Comentários

Mulheres tão particulares, com um único objetivo em comum, viver as melhores (e maiores) aventuras já vistas. Juntas ou sozinhas, nós queremos é viver! E compartilhar nossas experiências para que possamos inspirar cada vez mais, outras mulheres.



1 thought on “Ah, Noronha… – por Jennypher Oliveira”

O que achou desse post?


%d blogueiros gostam disto: