Na Estrada com as Minas

10 motivos para mulheres viajarem sozinhas pelo menos uma vez na vida

Eu já viajei sozinha e já viajei com amigas, e há vantagens em ambos. Mas com esse post quero te mostrar 10 motivos para viajar sozinhas.

Porém viajando com as amigas sempre haverá aquela pessoa que te impede de tomar decisões terríveis, como quando fui à Buenos Aires, e quase troquei todo meu dinheiro com um cara que supostamente trabalhava em uma agência de câmbio na Rua Florida – que a propósito queria trocar todo meu suado dinheiro por notas falsas.

Então tem aquele momento que viajar sozinha é uma perfeição absoluta: pegar um ônibus sem ter um destino certo e acabar descobrindo uma linda/agradável praça no meio do centro urbano de Curitiba e que estava no ranking 61º do TripAdvisor (não concordo com a classificação da Praça Osório, eu acabaria não tendo conhecido se não fosse essa minha sorte). Nesse momento, você se torna uma “mulher errada” aos olhos alheios, apesar de ter tomado uma decisão intuitiva e que te agradou e muito.

  • Confie em si mesma!

Embora possa parecer assustador, viajar sozinha é algo que cada mulher deve tentar pelo menos uma vez. Na verdade, está rapidamente se tornando uma tendência entre as mulheres de 18-34 anos, que viajam solo três vezes mais do que as mulheres com idade entre 35 e acima, de acordo com dados do Pinterest.

Como mulheres, quando viajamos em grupos, tendemos a pensar demais em coisas que podem ser perigosas, mas que valem a pena, e optar por coisas que são seguras e amigáveis para os grupos. Portanto, quando você está sozinha, você pode finalmente deixar sua bandeira louca voar e explorar tudo o que der vontade.

Aqui seguem algumas motivos pelos quais você deveria pensar em viajar sozinha:

1.  Você acaba tendo que fazer amizades com desconhecidos


(amigas coreanas que fiz no meu intercâmbio no Canadá e passamos um mês nos aventurando loucamente)

Como alguém que é ligeiramente tímida, eu gosto da segurança de ter uma amiga para conversar quando viajo. Mas estar sozinha me obrigou a interagir com estranhos no dia-a-dia, e assim aprender a abraçar saudações diversas e fazer perguntas mais pessoais. Nesse sentido, minhas conversas com estranhos eram muito mais complexas e íntimas que no final da noite nos sentíamos como velhos amigos.

2. Você vai dizer sim à coisas que jamais pensou fazer antes

(Morrendo de medo ao subir o teleférico da Cordilheira dos Andes)

As pessoas que você encontra em suas viagens, especialmente mochileiras, estão acostumadas a tomar riscos espontâneos como bungee jumping em pontes, ir em teleféricos perigosos que balançam muito e comer comidas extremamente picantes. Se você vai ficar com elas, então você terá que aprender a assumir alguns riscos. Assim no final de sua viagem, você terá acumulado toneladas de histórias interessantes para contar às suas amigas.

 




3. Você faz o seu próprio cronograma 

(Mina do Chico Rei em Ouro Preto)

Estar sozinha permitirá que você faça coisas que você realmente quer fazer, sem precisar consultar a pessoa que está viajando com você. Então se você quiser fazer um tour pelas locações de filmes e seriados de NY, você pode! Caso queira explorar uma mina desativada em Ouro Preto, você pode! Se quiser passar o dia fazendo um piquenique no Jardim Botânico de Curitiba, você pode! Se tem uma coisa que você pode viajando sozinha é fazer o que quiser. Ninguém pode te segurar.

4. Você não vai se arrepender de suas decisões idiotas

(Este bicho da foto quase comeu meu cabelo quando tentei tirar uma selfie em uma vinícola chilena)

Se você achou alguém que te interesse na balada, a pessoa que está viajando contigo sempre vai dar alguma opinião ou até mesmo te julgar por alguma coisa que você vá fazer. Mas quando você está sozinha, você nunca tem que se sentir culpada por suas besteiras. Principalmente se estava bêbada, porque ninguém está por perto para injustamente te dar uma bronca. E que venha o dia seguinte, será como se nada nunca tivesse acontecido.

5. Você confia em si mesma para descobrir as coisas

(Chegar em um Bioparque nunca foi tão difícil como em Escobar, Buenos Aires)

Eu sempre digo que o Google Maps foi a invenção que reinventou meu jeito de viajar e me ajudar a não me perder pelas cidades e peço a diva Beyoncé que abençoe o criador dessa maravilha. Sempre terá um momento em suas viagens que você estará confusa e irritada tentando descobrir qual rua leva ao museu que uma amiga da sua mãe disse que “só olhando para crer”.

Quando você está sozinha, cabe apenas a você pedir instruções e descobrir. Você terá uma intensa sensação de auto-confiança quando souber que é capaz de encontrar as coisas por conta própria.

6. Você vai apreciar as paisagens como nunca antes


 (Mesmo no verão, a Cordilheira é incrível)

Mas basta pensar o quão incrível será quando você finalmente fizer a longa caminhada até a Cordilheira dos Andes e finalmente colocar os olhos na vista deslumbrante que você só viu em livros de geografia. Você pode absorver tudo, sentar-se por horas e refletir sobre como a vida pode ser mágica em silêncio. Portanto com isso, a solidão também pode ajudá-la a alcançar uma zona meditativa, que ajuda com os níveis de estresse ao longo do tempo.

7. Você vai aprender a confiar em estranhos com seus itens pessoais


(Praça Minas Gerais – Igreja de São Francisco e Nossa Senhora do Carmo em Mariana)

Não importa o quão habilidosa você é, às vezes uma selfie simplesmente não vai fazer. A menos que você queira sair por aí com um pau de selfie que chama a atenção de todos, você vai ter que confiar estranhos com suas câmeras e celulares.

Dica rápida: Procure uma turista mulher semelhante a si mesma, pois elas não se sentirão incomodadas pelo seu pedido. Assim, quem sabe, você pode até fazer um amiga.

8. Você vai comer (e beber) o que quiser sem ninguém te julgando

(Garbonzo’s Pizza Pub em Winnipeg. Sim, eu comi isso tudo sozinha)

Mas uma das melhores partes sobre viajar solo é a possibilidade de sentar fora em um pitoresco café parisiense, com eclairs e macarons e apenas observar as pessoas. Sem ter que se preocupar com nada no mundo e poder comer até não aguentar mais  ficar satisfeita e sem culpa alguma.

9. Você vai se sentir completamente e totalmente livre

(Parque das Águas, em São Lourenço – MG)

Há um sentimento inegável de liberdade que vem de viajar sozinha, sem ajuda, regras ou diretrizes. Pois cada dia é um mistério e é completamente exclusivo para você, então aproveite ao máximo. Então misture-se com os moradores locais, experimente um restaurante fora da rota turística e apenas sinta os momentos. Porque você nunca vai sentir isso novamente.

10. Você vai ganhar um senso de independência que vai ficar com você para sempre

(pela primeira vez dirigindo algo sem ser minha bicicleta)

Viajar sozinha vai construir habilidades de vida, como proezas sociais, um senso de direção e a capacidade de se adaptar à mudança e ambientes desconfortáveis. Portanto, quando você voltar para casa, não vai precisar de ajuda de ninguém para alcançar seus objetivos.

O que você acrescentaria à lista? Deixe seu comentário para assim incentivar mais mulheres a viajarem e conhecerem mais lugares!

VAI VIAJAR? FAÇA SUA RESERVA AQUI!

Está programando a próxima viagem? Faça sua reserva com nossos parceiros e ganhe descontos incríveis. Além de ajudar o blog a se manter atualizado e não ser taxado a mais por isso.
Hospedagem: AirbnbBooking
Seguro Viagem: Real SegurosSeguros Promo
Aluguel de carro: Rentcars

Comments

comments

«

»

4 COMMENTS

  • Camila Santos

    Eu preciso dizer mil vezes o quanto você é maravilhosa, te admiro muito, muito mesmo!!
    Eu adoro viajar e por muito tempo me provei, justamente pelo fato de não ter coragem de ir sozinha, por que companhia tá escassa – risos. Mas já estou planejando a próxima trip *-*
    Beijos
    Camila Santos
    http://www.camisantos.com.br

what do you think?

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Pingback: 7 verdades ruins sobre ser uma mulher viajando sozinha – Na Estrada com as Minas on 15/11/2016
  • Pingback: Dicas para mulheres viajarem sozinhas de forma econômica – Na Estrada com as Minas on 15/11/2016
  • Pingback: A primeira vez que andei sozinha nas ruas de São Paulo – Na Estrada com as Minas on 15/11/2016